Publicado por: nadioli | 03/08/2010

02 de agosto de 2010

Olá,

Nesta semana além das previsões semanais trago uma interessante história sobre uma leoa vegetariana, já que o tema do mês são os leoninos não é mesmo?

Além disso aproveite para conhecer a Carta da Terra, importante documento que nos convida a adotar uma postura diante das questões de nosso planeta e que inaugura uma nova sessão em nosso blog: Assim na Terra como no Céu que será um espaço para abordarmos nossa relação com nosso planeta e com a natureza.

Nádia Oliveira

Para começar, um pouquinho mais do leonino Mario Quintana que trouxemos semana passada:

O tamanho da gente

O homem acha o Cosmos infinitamente grande
E o micróbio infinitamente pequeno.
E ele, naturalmente,
Julga-se do tamanho natural…
Mas, para Deus, é diferente:
Cada ser, para Ele, é um universo próprio.
E, a Seus olhos, o bacilo de Koch,
A estrela Sírius e o Prefeito de Três Vassouras
São todos infinitamente do mesmo tamanho…

Mario Quintana

CÉU DO MOMENTO


Temos aspectos no céu que permitem boas realizações, mas que precisam ser feitos sem pressa, usando uma certa tranquilidade. Portanto a dica importante é: paciência! Se souber se aliar ao tempo, conseguirá bons resultados.

Outra característica do momento é que terá que contar quase que unicamente com sua própria vontade e força. Exercite a autosuficiência e arregasse as mangas, não fique esperando o auxílio, ele virá posteriormente. Mas neste instante faça você mesmo. O bom é que provavelmente encontre em si a energia necessária pra resolver as situações.

Bom para relacionamentos afetivos, mas não para novidades ou mudanças abruptas, aqui o melhor é manter as coisas equilibradas e harmoniosas.

Marte o planeta da ação ingressou no signo de Libra, e costumamos dizer que nesta posição fica um tanto enfraquecido, isso  não quer dizer que nosso poder de ação diminua diretamente, mas isso pode acabar acontecendo, pois estamos mais sujeitos a ter dúvidas, indecisões e vacilos.

O céu atual por apresentar fortes tensões entre os planetas, exige que tenhamos mais prudência em nossas atitudes. Afinal é maior a variedade de resultados que podemos obter, assim avaliar atentamente e agir apenas dentro de uma maior margem de segurança é o mais indicado.

Uma história de leão


Little Tyke: história verdadeira de uma leoa vegetariana

Tyke recusando carne

No começo deste século, uma leoa africana, nascida e crescida nos Estados Unidos, viveu sua vida sem jamais comer carne, e detalhe importante: por escolha própria. De fato, seus donos, Georges e Margaret Westbean, preocupados que ela não poderia viver sem carne tentaram de todos os modos induzir o animal (ao qual deram o nome de “Little Tyke”) a desenvolver o apetite pela carne. Chegaram até a anunciar uma recompensa em dinheiro para quem conseguisse elaborar uma ração contendo carne, que a leoa aceitasse. O curador de um jardim zoológico de Nova York aconselhou que o casal Westbean pusesse algumas gotas de sangue na mamadeira de Little Tyke para ajudá-la a se acostumar, mas a leoa, ainda pequena, recusou sequer tocá-la, mesmo quando somente uma única gota de sangue tivesse sido introduzida. Varios especialistas também deram conselhos mas nenhum funcionou. Nesse meio-tempo, Little Tyke continuava a passar extremamente bem, com sua dieta de cereais em grão, cozidos, ovos e leite. Aos quatro anos de idade, a leoa, já adulta, pesava 160 quilos.

Até que  um jovem visitante à fazenda do Hidden Valley perguntou ao casal se já haviam lido a seguinte passagem da Biblia:

“E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. E assim se fez.” Gênesis 1:30


para conhecer a história de Tyke leia o livro

A partir daí, os donos de  Little Tyke, embora aparentemente não sendo cristãos, aceitaram tanto o que leram, que não mais se preocuparam com a recusa da leoa a comer carne, e passaram a procurar aprimorar a sua “dieta vegetariana”, com novos cereais a serem incorporados ao alimento dela. Numerosos cereais foram moídos e misturados ainda secos, então cozidos e adicionados ao leite e aos ovos. A leoa passou a alimentar-se com essa ração todas as manhãs e as tardes, e às vezes ao meio-dia também. Para a saúde de suas gengivas e dentes – pois ela recusava todos os oferecimentos de ossos para roer – foram-lhe dadas pesadas botas de borracha para mastigar, que duravam em geral cerca de três semanas. Com essa dieta, a leoa não só sobreviveu, mas manteve-se em excelente estado.

PERSONAGENS LEONINOS


Dois importantes fundadores de grupos esotéricos nasceram com o Sol em Leão. Helena Blavatsky  – Sociedade Teosófica e Max Heindel – Fraternidade Rosacruz.

Helena Petrovna Blavatsky

Nascida na Russia, tinha forte personalidade, dons psíquicos fortes. Viajou por diversos países em busca de conhecimento filosófico, espiritual e esotérico. Fundou a Sociedade Teosófica em 1877 com Henry Olcott. Escreveu importantes obras: Isis sem Véu e a Doutrina Secreta. Ela viveu em uma fase de grande crescimento das chamadas escolas ocultistas.

Rui Sá Silva Barros em sua monografia: “Tomando o céu de Assalto” ao tratar desta fase histórica comenta sobre ela:  “ Com Blavatsky, penetramos  no Tibet, Ásia Central e China, recuamos para 300 milhões de anos e ficamos sabendo que o homem é um setenário com uma parte imortal e outra mortal, reconstruída a cada encarnação.”

Max Heindel

Max Heindel, nascido em 23 de julho de 1865, foi um importante ocultista, astrólogo e místico cristão,  fundou a Fraternidade Rosacruz entre 1909 e 1911, sociedade voltada a divulgar ensinamentos esotéricos.

Assim na TERRA como no CÉU


Você já ouviu falar na Carta da Terra?

Rosana Rossi – (visite http://blogdarosita.blogspot.com/)

A Carta da Terra é uma declaração de princípios éticos para a construção de uma sociedade global justa, sustentável e pacífica neste século 21.  Ela tem o objetivo de inspirar todos os povos a um novo sentido de responsabilidade compartilhada, voltado para o bem-estar de toda a família humana, especialmente neste momento em que vivemos, de individualismo e egoísmo crescentes.

O projeto  começou como iniciativa das Nações Unidas e foi concluída como documento de todos os povos e hoje tem adesão de mais de 4.500 organizações internacionais. Entretanto, apesar de lançada há dez anos e de ser uma “produção” mundial, a Carta da Terra ainda é desconhecida da maioria das pessoas.

“É uma visão de esperança e um chamado à solidariedade e ao amor”, afirmou Cristina Moreno, uma das voluntárias que divulgam os princípios da Carta, em palestra na Escola Gaia Astrológica, dia 28 de julho. “Nós, humanos, nascemos para amar. O amor é a única emoção que expande o olhar e cria relacionamentos sustentáveis”, disse.

Mas o que são relacionamentos sustentáveis? “Diante de um pensamento, palavra ou atitude, questione-se sempre: se alguém fizesse isso comigo, como eu me sentiria?  Relacionamentos sustentáveis são aqueles cuja base é o amor e a transparência no diálogo, o cuidado com  o outro, o colocar-se no lugar do outro sempre. O coração tem que vir antes da razão, primeiro sentimos, depois agimos”, disse Cristina. Ela explicou que, além das inteligências cognitiva e emocional, o ser humano tem a inteligência espiritual, cuja base é a mente ética. É essa inteligência que deve ser acionada cada vez mais.

A Carta da Terra tem 16 princípios estruturados em 4 pilares, base do “ser sustentável”. São eles:

1) Respeitar e cuidar da comunidade da vida
2) Integridade Ecológica
3) Justiça Social e econômica
4) Democracia, não violência e paz.

A mente ética é a base do ser sustentável e como bem disse a Monja Coen, “não há mais tempo para brincar que não sabemos do que sabemos”.

Mãos à obra! Vamos pautar nossas vidas na família, no trabalho e  em todos os relacionamentos pela ética, pela solidariedade, pelo respeito.  Saiba mais em www.cartadaterrabrasil.org

Esta semana completa 65 anos da explosão da Bomba de Hiroshima, nestes dias que se discute o desarmamento do Irã e o fim da invasão norte-americana no Iraque (promessa de Obama), meditemos  pela paz, veja o vídeo com a música/poesia Rosa de Hiroshima escrita por Vincius de Morais na voz do leonino Ney Matogrosso, ainda em tempos do conjunto “Secos e Molhados”:


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: